Verso do Dia

22 de fevereiro de 2014

10 Dias de oração em busca pelo Espírito Santo

10º Dia - 22/02 - Tema: Ser um testemunho de fé
Texto para meditação:
A IMPORTÂNCIA DA INTEGRIDADE

Então, disse Pedro: Ananias, por que encheu Satanás teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo, reservando parte do valor do campo? Atos 5:3
Integridade, por definição do dicionário, é o "estado de ser completo, inteiro". A integridade é irmã gêmea da "sinceridade", expressão latina, sine cera (sem cera), utilizada para descrever os móveis sem reparos cosméticos e corretivo feitos com cera, para ocultar defeitos. Tanto a integridade quanto a sinceridade são consideradas hoje virtudes em extinção, porque elas são antíteses do espírito dos tempos. Nossa cultura gravita ao redor do sucesso a qualquer preço, vantagens imediatas e propaganda enganosa em todas as áreas. Para muitos, imediatismo e consumismo transcendem os valores permanentes. O que conta é o momento, o aqui e agora.
Pessoas íntegras nada têm a esconder ou ocultar. Nada a temer. Integridade não é primariamente o que fazemos, mas o que somos, e o que somos orienta o que fazemos. A importância crucial da integridade está no fato de que ela exerce grande influência. Acredita-se que 89% do que as pessoas aprendem são determinados por aquilo que observam. Aquilo que os filhos, alunos e liderados testemunham, em última análise, é o que realmente conta. Está acima das palavras e discursos que ouvem. De modo curioso, as pessoas tendem a investir, desproporcionalmente, mais esforço, tempo e recursos na imagem do que na integridade. Imagem é o que as pessoas pensam que somos. Integridade é o que realmente somos. E o que as pessoas são por fora nem sempre coincide com aquilo que elas são por dentro.
O texto de hoje relembra a história de Ananias e Safira, dois membros hipócritas da igreja primitiva. O pecado deles não foi primariamente avareza, mas falta de integridade. Tentaram simular o que não eram. O que aconteceu não foi disciplina eclesiástica, mas julgamento divino. O que aconteceria se Deus tratasse assim a insinceridade dos cristãos modernos? Provavelmente a igreja teria menos membros.
Alguém observou que "a medida do caráter real de um homem é aquilo que ele faria se soubesse que nunca seria pego". Ananias e a esposa não imaginaram que sua insinceridade seria descoberta. Os resultados foram trágicos. No julgamento, anjos darão testemunho de nossos segredos. "Deus há de trazer a juízo todas as obras, [...] quer sejam boas, quer sejam más" (Ec 12:14).
Semão para o Dia 22/02.
 

21 de fevereiro de 2014

10 Dias de oração em busca pelo Espírito Santo

9º Dia - 21/02 - Tema: Alegria e Gratidão

Texto para meditação:
OS SINOS DO CÉU

Pela recordação que guardo de tua fé sem fingimento, a mesma que, primeiramente, habitou em tua avó Loide e em tua mãe Eunice, e estou certo de que também, em ti. 2 Timóteo 1:5
James Dobson, conhecido psicólogo cristão que trabalhou no Hospital para Crianças em Los Angeles, conta a história de um garoto afro‑americano, de cinco anos, que nunca seria esquecido por ele. O garotinho estava internado, morrendo de câncer no pulmão, uma terrível enfermidade, especialmente em seu estágio final. Os pulmões se tornam cheios de fluidos, e o paciente fica incapaz de respirar, sentindo-se como se estivesse morrendo afogado. A experiência, segundo Dobson, é grandemente perturbadora, particularmente para uma criança pequena. O garotinho era filho de mãe cristã. Ela o amava grandemente e permanecia ao seu lado em meio ao doloroso cortejo da enfermidade. A mãe o colocava em seu colo e conversava suavemente com ele acerca de Deus e do Céu. Instintivamente ela o estava preparando para os momentos finais que se aproximavam.
Gracie Schaeffler, enfermeira do garoto naquele dia, entrou em seu quarto e o ouviu falar de "sinos do Céu". Ele balbuciava, como se conversasse com sua mãe: "Os sinos estão tocando, mãe, eu posso ouvir." A enfermeira julgou que ele estivesse tendo alucinações. Voltou um pouco depois e novamente ouviu a criança falar de "sinos tocando". A senhorita Gracie, à tarde, contou para a mãe do menino que ele tivera alucinações, falando coisas que não existem, provavelmente por causa da dor. A mãe, que no momento estava com a criança no colo, o apertou ainda mais contra o peito. Com um sorriso, disse: "Não, senhorita Schaeffler. Ele não está alucinando. Eu o ensinei que, quando amedrontado, quando ele não pudesse respirar, focalizasse um canto no quarto e tentasse escutar cuidadosamente; ele ouviria os sinos do Céu tocando para ele. É disso que ele estava falando." Aquela preciosa criança faleceu no colo de sua mãe, naquela mesma noite, ainda falando dos "sinos dos anjos".
Tenho grande admiração por pais e mães que ensinam os filhos a confiar no Senhor. Não importa o que a vida venha a jogar sobre eles ou que circunstâncias tiverem que atravessar, tais crianças, por pequenas que sejam, saberão que não estão sozinhas nem desamparadas. Esse ponto de referência espiritual será a maior herança que os pais podem deixar a seus filhos.

20 de fevereiro de 2014

10 Dias de oração em busca pelo Espírito Santo

8º Dia - 20/02 - Tema: Uma entrega obediente

Texto para meditação;
GRAÇA PARA TODOS

[Jesus] deixou a Judeia, retirando-Se outra vez para a Galileia. E era-Lhe necessário atravessar a província de Samaria. João 4:3, 4
Nicodemos e a mulher samaritana são personagens exclusivos do quarto evangelho. Os dois apresentam um quadro de extraordinário contraste. Ele é um líder da austera teologia farisaica, o melhor da moralidade da época, membro da sofisticada elite. O encontro com Cristo acontece de noite, com entrevista marcada. Jesus confronta Nicodemos com uma demanda: "É necessário nascer de novo" (ver Jo 3:3). A samaritana, por outro lado, é uma religiosa quase completamente ignorante, adúltera, marginalizada dentro do sistema social e religioso dos judeus. Encontra-se com Cristo de dia. Ela não suspeita de nada. Toma o Filho de Deus por um judeu comum. Jesus a confronta com uma oferta: "Aquele, porém, que beber da água que Eu lhe der nunca mais terá sede" (Jo 4:14).
Inicialmente, temos a impressão de estar lendo histórias sobre Nicodemos e a samaritana anônima. Contudo, essas narrativas são essencialmente sobre Jesus e o amor de Deus revelado nEle. Os extremos humanos estão aqui representados, assim como está representada a grande oferta de Deus, que se estende a todos. Os personagens humanos são nossos representantes. Neles, fica claro que a graça de Deus é para todos. Ninguém é excluído. Aqui o ministério de Jesus repreende a justiça própria de Nicodemos, bem como a indulgente promiscuidade da samaritana. Mas o que vemos, afinal, é o triunfo da graça divina.
Na conversa com a mulher, junto ao poço de Sicar, Jesus rompe com dois costumes do comportamento judaico. Primeiramente, os homens não conversavam em público com as mulheres. Em segundo lugar, os judeus rejeitavam qualquer contato com samaritanos (Jo 4:9). Os samaritanos eram judeus híbridos, considerados "vermes imundos" pelo judaísmo. Essa era uma hostilidade que se arrastava por séculos de história.
Cristo Se elevou acima de tabus, preconceitos e mentalidade de gueto para alcançar essa criatura falida. Jesus era mestre em encontrar ouro na lama. Quando ela hesita em Lhe conceder o insignificante favor de um gole de água, dever sagrado entre os orientais, Ele desarma o preconceito dela. Desconsiderando a recusa, faz-lhe uma oferta fascinante. No início da narrativa, é ela quem tem a água, e Jesus a sede. No fim, a mesa se inverte: Ele tem a água, e ela a sede. Esse sempre é o desfecho de nosso encontro com Deus. Nossa falência pode passar por inesperada mudança de rota.

19 de fevereiro de 2014

10 Dias de oração em busca pelo Espírito Santo

7º dia - 19/02 - Tema: Humildade e Sacrifício
Texto para meditação:

OS CRISTÃOS E O CONSUMISMO


Os mercadores destas coisas, que, por meio dela, se enriqueceram, conservar-se-ão de longe, pelo medo do seu tormento, chorando e pranteando. Apocalipse 18:15
O consumo não é algo novo. Pode ser visto como o uso legítimo de recursos para a sobrevivência. Esse não é o caso do consumismo, que surgiu na esteira da Revolução Industrial, tornando-se um estilo de vida dominante em nossos dias. Até então, exceto pela elite rica, o consumo era baseado em necessidade. Luxos e gastos desnecessários eram tipicamente condenados, vistos como extravagâncias supérfluas.
A cultura atual, contudo, apresenta o quadro global de uma febre feroz e incontrolável para se ter e consumir. O poder de consumo é visto como um símbolo de superioridade social, sublinhando status profissional e econômico, mantendo distinção entre "aqueles que podem" e "aqueles que querem". Consumir é fashion, é ter estilo. Os hábitos de compra foram transformados, e extravagâncias parecem necessidades. O comércio, por meio da publicidade, conseguiu controlar as pessoas, ditando a elas o que vestir e comer, que tipo de móveis precisam comprar e como é o carro que devem ter. A propaganda passou a controlar o pensamento, e os produtos passaram a ser não apenas desejáveis, mas indispensáveis.
Para se criar a economia consumista, o crédito dos consumidores teve que ser expandido. O efeito disso foi o grande aumento do endividamento sobre pessoas e famílias. As consequências dessa Babilônia ainda não foram avaliadas em toda sua extensão. Desenvolveu-se até uma "religião materialista". Se no passado a resposta a questões essenciais, como "Quem somos nós?", vinha das Escrituras, hoje ela vem do mercado: "Somos o que consumimos." As pessoas são subjugadas pela sensação do consumo compensatório: consumir para sentir alívio do estresse. Consumir para sentir-se bem. A lógica é mais ou menos esta: "Se desejo, eu devo possuir. Se devo possuir, é porque eu necessito. E, porque necessito, eu mereço. Então farei qualquer coisa para possuir o que necessito e mereço."
A força da propaganda consumista é alicerçada em promessas falsas. Mas as Escrituras não têm boas-novas para o consumismo. O Apocalipse 18 antecipa o colapso do comércio, da propaganda enganosa, das fraudes e mentiras. Descubra a vontade de Deus para sua vida, e confie em Suas promessas infalíveis. Aprenda a relativizar a voz da cultura e seus apelos.

18 de fevereiro de 2014

10 Dias de oração em busca pelo Espírito Santo

6º dia - 18/02 - Tema: Profundo exame de consciência
Texto para meditação:

PARA GANHAR A CRISTO


Mas o que, para mim, era lucro, isto considerei perda por causa de Cristo [...], por amor do qual perdi todas as coisas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo. Filipenses 3:7, 8
No livro Not a Fan (Não um Fã), Kyle Idleman observa que aquilo que estamos dispostos a deixar por Cristo indica o grau de nosso compromisso com Ele. Mostra se somos reais seguidores ou apenas fãs, torcedores. Esse critério, quando aplicado a Paulo, não nos deixa com qualquer dúvida de sua entrega radical.

A busca de um respeitado modelo para ser imitado no judaísmo certamente conduziria ao erudito de Tarso. Na "crista da onda" de fama internacional, Saulo encontra-se com o verdadeiro "rival" de sua perfeição. No caminho para Damasco, ele é subitamente ferido por uma luz que nunca mais seria esquecida. A voz que o chama pelo seu nome tem o som de muitas águas: "Saulo, Saulo, por que me persegues?" (At 22:7). No chão, ferido pela luz intensa, o fariseu tem seu primeiro vislumbre da justiça perfeita. Pela primeira vez em sua vida, ele sente-se envergonhado. Suas vestes de justiça própria não passam de "trapos imundos". Todos os seus troféus, placas e impressionantes honras terrenas não passam de realizações ridículas.

Um vislumbre de Cristo é suficiente para convencê-lo de que ele havia gasto a vida na estrada errada, para o destino errado e pela razão errada. Todos os paradigmas de Saulo são alterados num instante; e sua vida, transformada completamente. O que estava na direita passa para a esquerda e o que estava na esquerda passa para a direita. Ele entende quão enganado estivera. A visão do crucificado é devastadora para sua antiga fome de aplauso terreno e busca de justiça humana. Ele sentiu-se completamente falido, reduzido à "estaca zero". Orgulhoso de suas realizações, ele se vê despido, nu espiritualmente. Tendo no passado estabelecido a norma para a avaliação de outros, Saulo agora se vê um patético fracasso.

Às vezes, penso que as pessoas "perfeitas" ou "superiores", mesmo que sejam bem-intencionadas, substituíram Jesus Cristo pelo "desenvolvimento do caráter" ou por dietas legalistas e santidade enferma, "respirando ameaças de morte" contra a igreja e os que discordam delas, buscando ilusoriamente "vencer como Jesus venceu", como se estivessem competindo com Ele. Diante da visão de Cristo, quem não se envergonha de sua justiça farisaica?

17 de fevereiro de 2014

Reflexões de Monteiro sobre seu tempo na prisão

O pastor adventista do sétimo dia Antônio Monteiro dos Anjos foi detido, acusado e enviado para a Prisão Civil em Lomé, Togo, em 15 de março de 2012. Após 22 meses, o nativo de Cabo Verde foi considerado inocente de todas as acusações contra ele pelo Tribunal de Apelações de Togo e libertado em 13 de janeiro de 2014. Milhares de adventistas do sétimo dia, pessoas de várias religiões, e defensores dos direitos humanos em todo o mundo que oraram e trabalharam pela liberdade do ministro ficaram gratos com a notícia de sua libertação. Ainda assim, outras pessoas, incluindo o membro da Igreja Adventista, Bruno Amah, permanece na prisão sob acusações relacionadas com o caso.
Monteiro e sua família passaram o primeiro sábado de sua liberdade em Dakar, Senegal, a caminho de casa em Cabo Verde. Delbert Baker, um vice-presidente da Igreja Adventista a nível mundial e representante da sede mundial da denominação, encontrou os Monteiros e os acompanhou de volta para Cabo Verde. Monteiro recebeu uma recepção calorosa e eufórica de mais de mil apoiadores e amigos no Aeroporto Internacional Nelson Mandela, na cidade capital de Praia. Baker entrevistou Monteiro, no Senegal, onde ele relatou o seu tempo na prisão, como se sentia a respeito de seu tempo lá, e o que planeja fazer a seguir.
A tradução do português para o inglês foi propiciada pela filha do Pastor Monteiro, Andreia.

10 Dias de oração em busca pelo Espírito Santo

5º dia - 17/02 - Tema: Unidade em amor
Texto para meditação:

PARA MIM, O VIVER É...


Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro. Filipenses 1:21
Algumas das peças literárias mais poderosas da história foram escritas por líderes aprisionados. Parece que há algo no confinamento – talvez a incerteza ou mesmo os abusos sofridos – que faz o prisioneiro focalizar a mente em convicções fundamentais. Mas, enquanto muitos autores aprisionados assumem uma atitude de mártir, atacando o sistema e aqueles que os aprisionam, Paulo soa radicalmente diferente.

A Epístola aos Filipenses é uma das chamadas "Cartas da Prisão". O apóstolo parece sentir no ar o pesado clima da execução (1:23), provavelmente em Roma. Mas no que ele se concentra? Paulo focaliza a vida centralizada em Cristo, cuja marca é a alegria. Como cristãos que vivem hoje em liberdade e desfrutam de oportunidades, facilmente podemos nos concentrar em pontos periféricos que, embora atrativos, têm pouco valor. Corremos o risco de perder a perspectiva daquilo que é essencial. Pense em como você completaria a frase a seguir: "Para mim, o viver é..." Observe algumas alternativas e a consequência lógica de cada uma:

Para mim, o viver é dinheiro... e morrer é deixar tudo para trás.

Para mim, o viver é fama... e morrer é rapidamente ser esquecido.
Para mim, viver é poder... e morrer é perder tudo.
Para mim, viver é possuir... e morrer é partir de mãos vazias.

Quando o dinheiro é o objetivo da vida, estamos destinados a viver subjugados ao medo de perdê-lo, o que nos transforma em paranoicos, desconfiados. Quando a fama é o alvo, nós nos tornamos competitivos, envenenados pela inveja. Se orientados pelo poder, nós nos tornamos servos de nós mesmos, vaidosos e arrogantes. Quando o viver é possuir, acabamos sendo possuídos pelo materialismo, escravizados pela ambição de ter, para quem "o suficiente nunca é suficiente". E assim os falsos deuses nos destroem.

"Para mim, o viver é Cristo" porque apenas Ele nos satisfaz, quer tenhamos ou não, sejamos conhecidos ou anônimos, quer vivamos ou morramos. A boa-nova: a morte não tira nada de nós. Ela apenas fixa para sempre o que já é nosso em Cristo.

16 de fevereiro de 2014

10 Dias de oração em busca pelo Espírito Santo

4º dia - 16/02 - Tema: Confissão Genuína
Texto para meditação:

REPRODUZIR PERFEITAMENTE O CARÁTER DE CRISTO


Toda árvore boa produz bons frutos, porém a árvore má produz frutos maus. Mateus 7:17
Falar de perfeccionismo é facilmente arriscar-se a ser mal compreendido e acusado de não crer na santificação, em um estilo de vida natural, na importância da saúde ou em qualquer outra ação dentro da área do crescimento cristão. Ainda pior do que isso é ser utilizado por outros para justificar um modelo de cristianismo descompromissado. Mas não é disso que estamos falando. Sem santificação, ninguém verá a Deus. A saúde deve ser preservada como um valioso tesouro, e o estilo de vida natural é um ideal a ser seguido. Contudo, o que se discute é que essas coisas podem facilmente tomar o lugar de Cristo, além de promover complexo de superioridade.

Um dos textos de Ellen White mais utilizados por perfeccionistas está no livro Parábolas de Jesus, página 69: "Cristo aguarda com fremente desejo a manifestação de Si mesmo em Sua igreja. Quando o caráter de Cristo se reproduzir perfeitamente em Seu povo, então virá para reclamá-los como Seus." A expressão "reproduzir perfeitamente" tem sido tomada como sinônimo de impecabilidade, como se os cristãos devessem se tornar uma duplicação de Cristo. Para muitos, o "caráter" torna-se o substituto de Cristo, assim como a lei se torna Seu substituto para os legalistas. Tenho conhecido pessoas que pensam "reproduzir perfeitamente" o caráter de Cristo seguindo a "dieta do Éden", ou seja, comendo apenas ervas e frutos que deem semente – o que exclui todo o resto, inclusive verduras e alimentos que nascem sob a terra. Para outros, isso significa não usar perfume, sabonete, desodorante, pasta de dentes. Há uma infinidade de ideias derivadas de noções equivocadas da perfeição/santificação.

Defensores de ideias perfeccionistas, contudo, nada têm que ver com o que Ellen White realmente escreveu. Todo o contexto da passagem mencionada está falando do serviço ao próximo, do interesse em sua salvação, de esquecer-nos de nós mesmos e ajudar outros. Nesse contexto, o cristão perfeito é aquele que ama e se preocupa com seus semelhantes, como Jesus, que não viveu para Si. À página 67, Ellen White menciona que "o objetivo da vida cristã é a frutificação – a reprodução do caráter de Cristo no crente". Então ela menciona que essa frutificação tem que ver com o fruto do Espírito (Gl 5:22, 23; p. 67, 68). É mais fácil ser superficial e "discutir teorias religiosas" do que ser cristão e refletir o verdadeiro caráter de Cristo, de amor incondicional e serviço.

15 de fevereiro de 2014

10 Dias de oração em busca pelo Espírito Santo

3º dia - 15/02 - Tema: Arrependimento sincero

Texto para meditação:

RESISTINDO À TENTAÇÃO SEXUAL

Nenhuma coisa me vedou, senão a ti, porque és sua mulher; como, pois, cometeria eu tamanha maldade e pecaria contra Deus? Gênesis 39:9
Como descrito e demonstrado por filmes e pela TV, o sexo parece a suprema preocupação na mente das pessoas hoje. A distorção oposta seria tratar o sexo como algo pecaminoso e perverso. O sexo é criação divina e apropriado quando é vivido no contexto do casamento. Quando o tiramos dos limites de seu desígnio, destruímos sua beleza e propósito. Isso é mais ou menos como a história do garotinho que tirou um peixe do aquário para brincar com ele. Logo, porém, descobriu que o peixe se diverte apenas no ambiente da água. O princípio é verdadeiro em relação ao sexo, destinado a ser desfrutado no contexto de um compromisso único e exclusivo.
A história de José pode trazer ajuda a jovens lutando com a tentação sexual. As Escrituras afirmam que José "era formoso de porte e de aparência" (Gn 39:6). Isso não passou despercebido à senhora Potifar, que finalmente deixou de rodeios e passou ao assédio direto (v. 7). O primeiro princípio é este: todo mundo é belo de forma e aparência para alguém. Isso quer dizer que não são apenas os vistos como belos que terão que lidar com a tentação. Cedo ou tarde, você se defrontará com o desafio.
Segundo, defina suas normas antes de ser assediado pela tentação. Porque José já havia tomado sua decisão, como indicado no texto de hoje, ele não ficou à mercê da senhora Potifar. Se você não estabelecer as normas pessoais a respeito do sexo, alguém tomará a decisão por você.
O princípio número três aparece no verso 10: "Todos os dias ela insistia que ele fosse para a cama com ela, mas José não concordava e também evitava estar perto dela" (NTLH). Isso quer dizer: evite a proximidade com a tentação. José conhecia os truques da senhora Potifar e sabia de sua vulnerabilidade pessoal. Ele decidiu não se aproximar dela. Ele sabia que precisava ficar tão longe da tentação quanto possível. Cortejar o perigo é preparar-se para a queda.
Finalmente, quando tudo o mais não der certo, fuja. José sabia que chegara o momento em que nenhum argumento iria funcionar. Você certamente deve orar, e a oração é arma poderosa, mas às vezes você tem que colocar "asas" a serviço da oração. José tinha o que chamamos de "compromisso radical". Não me atrevo a dizer que isso seja fácil. Mas é o que significa ser um discípulo de Cristo. E o Senhor honrará sua determinação e firmeza.

14 de fevereiro de 2014

Feliz Sábado

Oi, Feliz Sábado.
Para muitos críticos, o cristianismo funciona à base da intimidação e do medo. Num recente livro que li, o autor parece convencido de que todo o edifício do pensamento cristão é construído sobre a ideia do inferno. "Retire-se a noção do inferno, e o cristianismo acaba", ele afirma. E conclui: "Sem o inferno, todas as doutrinas e dogmas perdem seu sentido. Sem o perigo do inferno, por que alguém iria se converter?" Para ele, o medo é a única força cristã.
Outros imaginam que a grande motivação é o desejo de recompensa. Dostoiévski observa: "Não é Deus que os homens procuram. São os milagres que Ele pode fazer." Talvez isso explique o fenômeno do crescimento das igrejas que exploram a teologia da prosperidade, oferecendo às pessoas precisamente aquilo que elas desejam: saúde física, dinheiro, sucesso material.
De fato, medo de punição e desejo de recompensa são grandes forças motivadoras. Mas elas não são as únicas. O amor e a graça são forças incomparavelmente maiores e mais fortes para o comportamento humano. Deus não usa como instrumentos de motivação ameaças ou a sedução de recompensas para ganhar nosso coração. Paulo entendeu isso ao afirmar que "o amor de Cristo nos constrange". O símbolo do cristianismo é uma rude cruz, onde se concentrou o amor do Universo, e não um trono ou uma coroa. Quando entendemos a graça de Deus, que nos aceita e perdoa, que nos trata com dignidade quando não temos dignidade, e compreendemos que Deus morreu por nós quando ainda éramos inimigos (Rm 5:8), não podemos senão amá-Lo. Por isso, Jesus observou: "Se me amais, guardareis os Meus mandamentos" (Jo 14:15). Aqueles que são motivados por medo ou recompensa se comportam como escravos. São mesquinhos, contando centavos e segundos, sempre mal-humorados naquilo que doam ou fazem. Mas Cristo nos libertou de tal condição. Ele nos chama de amigos (Jo 15:14).
Você realmente ama alguém? O que você faria por essa pessoa? Eu tenho visto pessoas trabalharem arduamente. Tenho visto pais passarem noites em claro por um filho. Mas o espantoso é que eles não se sentiam escravos. Trabalhavam com brilho nos olhos e alegria na face. Quando realmente amamos alguém, servir a essa pessoa, longe de ser um fardo, é sempre um privilégio e uma oportunidade para aquele que ama. Como você serve a Cristo? Como escravo ou como a um amigo querido?

10 Dias de oração em busca pelo Espírito Santo

2º dia - 14/02 - Tema: Uma experiência mais profunda

Texto para meditação:
RAZÕES PARA NÃO PECAR

A cobiça, depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte. Tiago 1:15
Enquanto fazia uma semana de oração em uma igreja brasileira que se reunia em um templo evangélico alugado, na área de Washington, nos Estados Unidos, encontrei no quadro de anúncios dos donos do prédio uma página intitulada: "35 Razões Para Não Pecar". Achei o texto de uma extraordinária beleza e simplicidade, além de inspirador. Transcrevo abaixo algumas daquelas razões do artigo. "Não devo pecar":
Porque um pequeno pecado leva a pecados maiores.

Porque meu pecado ofende e entristece a Deus, que tanto me ama.

Porque meu pecado coloca um enorme fardo sobre mim e sobre os que mais amo.
Porque o pecado sempre me faz menor do que aquilo que Deus espera que eu seja.
Porque outros, incluindo minha família, sofrerão as consequências de meus pecados.
Porque o pecado faz os inimigos de Deus se regozijarem e zombarem dEle.
Porque o pecado me engana e leva-me a crer que "ganhei", quando na verdade perdi.
Porque o pecado me desqualifica para a liderança espiritual.
Porque os supostos benefícios de meu pecado nunca haverão de superar suas consequências.
Porque o pecado traz um prazer momentâneo, mas perda eterna.
Porque meu pecado pode influenciar outros a pecar.
Porque meu pecado impede outros de conhecer a Cristo.
Porque é impossível pecar e ao mesmo tempo ser guiado pelo Espírito.
Porque o pecado rouba minha reputação e o poder de meu testemunho.
Porque o pecado misturado com o serviço torna as coisas de Deus sem gosto.
Porque meu pecado é adultério com o mundo.
Porque nunca posso realmente saber com antecedência quão severo será o custo que meu pecado há de exigir.
Porque eu prometi a Deus que Ele seria o Senhor de minha vida.

Talvez você hoje esteja para tomar uma séria decisão diante de um pecado que o assedia. Reconsidere as razões para não pecar. Lembre-se de que Cristo morreu pelos seus pecados para que você morra para o pecado.

13 de fevereiro de 2014

10 Dias de Oração em busca pelo Espírito Santo

1º dia - 13/02 - Tema: Intercessão Persistente

Texto para meditação:


O LUGAR MAIS SEGURO

Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o dia se aproxima. Hebreus 10:25
Há uma interessante estatística que li acerca de como se manter seguro no mundo atual. As sugestões são coloridas com humor:

Evite dirigir ou estar em automóveis. Eles são responsáveis por 20% dos acidentes.

Cuidado enquanto você está em casa: 17% de todos os acidentes acontecem aí.

Esteja alerta ao caminhar em ruas e calçadas. Saiba que 14% dos desastres acontecem a pedestres.

Evite viajar de avião, trem ou navios, pois 16% de todos os acidentes envolvem essas formas de transporte.

O restante dos acidentes, somando 33%, ocorrem nos hospitais. Assim, sobretudo, evite os hospitais.

Mas, continua o texto, "você ficará feliz em saber que de todas as mortes apenas 0,01% ocorrem durante serviços de culto na igreja, e essas estão relacionadas com desordens físicas anteriores". Assim, conclui tal artigo, o lugar mais seguro para você, em qualquer circunstância, é a igreja.

Humor à parte, a recomendação é válida por razões inquestionáveis. No contexto do verso bíblico de hoje, encontramos quatro admoestações aos cristãos: (1) cheguemo-nos com coração verdadeiro (v. 22); (2) guardemos firme a confissão de nossa esperança (v. 23); (3) consideremos uns aos outros (v. 24); e, finalmente, (4) não deixemos de congregar-nos (v. 25). As duas primeiras estão relacionadas com o fato de que alguns cristãos hebreus corriam o risco de, abandonando a "realidade", que é Cristo, voltarem para as sombras do judaísmo. As duas últimas são advertências aos cristãos em relação à igreja. O cristianismo nunca é uma experiência solitária. De fato, as Escrituras desconhecem cristianismo fora do corpo coletivo de Cristo.

Se a decisão de seguir a Cristo é individual, a caminhada cristã envolve os outros membros do corpo. Se o cristianismo deve ser mantido, expandido e partilhado, reunir-nos na igreja é experiência insubstituível. A vida da fé, em condições normais, presume a igreja, a associação e o envolvimento nela, lar e refúgio dos cristãos. Sucumbir às várias pressões da vida e deixar de se congregar na igreja é cortejar o fracasso espiritual.

10 de fevereiro de 2014

Voluntários norte-americanos constroem igrejas na Bahia

Voluntários norte-americanos constroem igrejas na Bahia
Dias D’ Ávila, Bahia… [ASN] Um grupo de voluntários visitou o Estado da Bahia na última quinzena do mês de janeiro. A equipe, formada por 60 pessoas, a maioria com mais de 50 anos, deixou pronta a estrutura básica de dois templos que estão em uso por membros e amigos nas comunidades de Amado Bahia e Jardim Garcia, em Dias D’ Ávila.
Os voluntários fazem parte da Maranatha Volunteers Internacional, organização sem fins lucrativos que há 40 anos é um ministério de apoio à Igreja Adventista do Sétimo Dia na construção de igrejas e escolas. Elas são realizadas com recursos dos próprios integrantes, que também colocam a “mão na massa” para garantir que em um curto espaço de tempo comunidades sem presença adventista tenham local para a adoração a Deus.
Para a diretora da Maranatha Volunteers Internacional, Karen Godfrey, o grupo demonstrou muita alegria durante todo o tempo e leva um bonito referencial de como aguardar a volta de Jesus. “Realmente todos estão contentes por estar aqui. O Brasil é lindo, mas o que levamos de mais importante daqui é o relacionamento que construímos com as pessoas que conhecemos durante o projeto”, explica Karen, que há 25 anos lidera os mais variados grupos de voluntários. “Estamos maravilhados com o entusiasmo dos novos amigos em relação à volta de Jesus e ficamos encantados com o anseio que eles têm em seus corações em ver Jesus voltar. Isso é realmente maravilhoso.”

7 de fevereiro de 2014

10 dias de oração e 10 horas de jejum e oração


A partir do dia 13/02 os adventistas de toda a União Sul Americana estarão em oração durante 10 dias por seus amigos especiais de oração, por quem vêm orando durante mais de um ano, e 10 horas de jejum e oração - no dia 22/02.
Aqui, na Igreja Adventista de Salamim, o programa terá início dia 13/02 e será realizado nas madrugadas. Nossa Igreja estará aberta a partir das 05:00 hs para meia hora diária de oração e estudo da palavra de Deus. Sinta-se à vontade para vir até nossa Igreja e juntar-se a nós em nossas súplicas pela presença do Espírito Santo.
No dia 22/02 teremos um sábado especial de jejum e um sermão especial pelo Pr. Mark Finley e o estudo do documento rumo ao lar. Serão dias especiais e, temos certeza, repletos de bênçãos.
Você é nosso convidado especial. Venha...

Erupções vulcânicas abalam comunidades montanhosas no Norte de Sumatra


Escolas adventistas do sétimo dia na região ocidental da Indonésia estão entre as instituições que servem como abrigo, na esteira de uma série de grandes erupções vulcânicas que deslocaram mais de 25.000 pessoas, deixando aldeias vizinhas atolada em cinzas e lama.
O Monte Sinabang, em Sumatra do Norte, entrou em erupção várias vezes na semana passada expelindo lava, cinzas vulcânicas e gases que atingiram até 5.000 metros de altura e que afetam as comunidades além da zona de perigo em torno do vulcão.
A montanha entrou em erupção de forma intermitente desde setembro, com a atividade se intensificando neste mês. Fontes locais dizem que a lava vem fluindo continuamente desde meados de janeiro, com mais de 200 erupções registradas em uma semana.
Três dos 37 templos adventistas perto do Monte Sinabang resistiram a danos na última série de erupções, disseram líderes da igreja local. "Com as erupções contínuas, avaliação de danos não é uma opção, por isso é difícil determinar a extensão dos danos às igrejas e casas", disse o pastor adventista Trisawaty Sinuhaji.
Escolas adventistas em Sumbul Kaban Jahe estão acomodando cerca de 700 pessoas deslocadas. Remédios, cobertores, roupas e água potável são as necessidades urgentes, informaram os líderes da Igreja.
As igrejas adventistas na  Indonésia Ocidental realizaram coleta de ofertas para ajudar as famílias deslocadas pela erupção em 25 de janeiro. As ofertas também irão para pessoas afetadas por inundações em Jacarta e Manado, no início deste mês.
O Monte Sinabang é um dos 130 vulcões ativos na Indonésia. Antes de 2010, o vulcão esteve adormecido por séculos.

Feliz Sábado

Oi, Feliz Sábado!!!
Em muitos lugares, como aqui em nossa região, as pessoas estão voltando ao trabalho depois das tão merecidas férias. Voltamos a sentir o cansaço de uma semana de lutas e desafios e, ao findar da semana, a necessidade de um tempo para renovar as forças.
Deus nos deu um período semanal especial, de 24 horas, onde podemos repor nossas forças. Lá no Éden, ao criar a humanidade, ele os agraciou com tão perfeito presente: Deu-lhes o sábado como dia de repouso e memorial de sua criação. O dia de lembrança, de esperança, de bonança. Dia em que Ele chega ainda mais perto de nós - se é que isso é possível, vez que Ele sempre ao nosso lado.
Deus o ama e está o esperando para Seu encontro semanal com você. Pare um pouco, respire, e verá que Ele está aí, bem pertinho de você.
Tenha um sábado cheio de bênçãos. O Senhor te abençoe e te guarde, que Ele faça resplandecer o Seu rosto sobre ti e te dê a paz.

3 de fevereiro de 2014

Equipe de Calebes de Salamim e Saracura na localidade de Gonçalo

Os Jovens das Igrejas de Salamim e Saracura estão empenhados na Missão Calebe 8.0 no povoado de Gonçalo - Distrito do Junco. Estes jovens destemidos e determinados em levar o evangelho ao mundo dedicaram suas férias para cumprir esta missão. Até então quatro batismos foram realizados graças ao incançavel trabalho deste grupo de Calebes.
Continuem orando por nossos jovens Calebes e, através deste lindo trabalho, o evangelho do Reino será pregado a todos os povos.

10 Dias de Oração e 10 horas de Jejum

Vem aí...
10 dias de oração e 10 horas de jejum é um projeto mundial da IASD, convocando a todos a unir-nos na busca especial pelo batismo do Espírito Santo porque "As tremendas questões de eternidade demandam de nossa parte algo mais que uma religião de pensamento, uma religião de palavras e formas, onde a verdade é mantida no recinto exterior. Deus pede um reavivamento e uma reforma.” (Ellen White, Profetas e Reis, 320).



Veja aqui as dúvidas mais frequentes sobre o projeto.

1. Quando vai começar?

     Do dia 13 a 22 de Fevereiro

2. Quais os temas abordados?

·        Intercessão fervorosa

·        Fé mais profunda

·        Aarrependimento sincero

·        Confissão genuína

·        Unidos no amor

·        Examinando a consciência

·        Humildade e sacrifício

·        Entrega obediente

·        Alegria e gratidão

·        Testemunho fervoroso

3. Sugestões para o projeto

·        Faça caminhada de oração;

·        Convide seus amigos do trabalho para orar com você;

·        Marque um horário para fazer suas orações;

·        Utilize o alarme do celular; 
·        Igrejas poderão ficar abertas durante os 10 dias de oração;