Verso do Dia

29 de agosto de 2014

Adventistas vão manter 30 famílias em região menos cristã do mundo

Janela 10/40 é desafio não apenas para
adventistas, mas para cristãos em geral
Pesquisa realizada pela Pew Research e divulgada nesta quarta-feira, dia 27, mostrou que metade dos cristãos vivem em apenas 11 países do globo. Conforme o levantamento, 50% das pessoas que se dizem cristãs são moradores de países como Brasil, Estados Unidos, México, Alemanha, Itália, Nigéria, Congo, Etiópia, Rússia, China e Filipinas. Essas nações, juntas, concentram 38% da população de todo o planeta. Diante disso, denominações cristãs, como a Igreja Adventista do Sétimo Dia, criam estratégias para aumentar sua presença em outros países considerados fechados oficialmente para o cristianismo.
Um dos principais projetos dos adventistas sul-americanos será o envio, em 2015, de pelo menos 30 famílias de pastores para países e regiões do mundo onde o cristianismo é inexpressivo. Só para se ter uma ideia, basta pegar o exemplo da região chamada Janela 10/40, faixa de terra que vai do oeste da África até a Ásia que, subindo a partir da Linha do Equador, fica entre os graus 10 e 40 e forma um retângulo de países com baixíssima presença do cristianismo. Nessa parte do mundo, com cerca de 3 bilhões e 600 mil habitantes ou dois terços da população mundial, há 1% de cristãos e 0,001 de adventistas.
Agência Adventista Sul-Americana (ASN) conversou com o pastor Herbert Boger, secretário ministerial associado na sede sul-americana adventista (Divisão Sul-Americana) a respeito desse projeto:
ASN – Diante desse quadro onde fica claro que metade dos cristãos vivem em apenas 11 países do mundo, como a Igreja Adventista sul-americana está pensando em aumentar a presença cristã em outras nações?
Pr. Boger – A Igreja Adventista em oito países sul-americanos tem cumprido a missão mundial com orações a cada sábado e ofertas missionárias, tem enviado estudantes valdenses que se misturam nas universidades e pregam e também, por meio de centros de Influência sendo relevantes na comunidade. Também realiza esse trabalho por meio da ADRA (Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais) atendendo as necessidades das pessoas, ministérios de literatura e pelas mídias em geral quando possível.
ASN – Não podemos entrar em detalhes, mas qual é o plano da Igreja Adventista para 2015 quanto ao envio de missionários? Quantas famílias devem ser enviadas para outros países?
Pr. Boger –  No próximo ano teremos 30 famílias de pastores do território da Divisão Sul-Americana da Igreja Adventista vivendo longe de sua pátria para apressar a volta de Jesus. Cinco já estão lá no campo missionário e 25 irão somar a esses. A Igreja e as instituições vão doar 13 milhões de dólares por cinco anos e nesse valor está inclusa a manutenção das 25 famílias e os projetos missionários que lá serão desenvolvidos.
ASN – Qual tipo de amparo essas famílias terão para esse trabalho diferenciado de missão e qual é a ideia da atuação delas por lá?
Pr. Boger – A Associação Ministerial vai ser o amparo desses missionários aqui na Divisão Sul-Americana. E cada união (região administrativa que coordena os trabalhos da Igreja em determinados países, estados, províncias ou departamentos dentro de uma mesma divisão) que recebe dará todo amparo que um pastor deles tem. Ainda cada família terá suas férias em seu país de origem uma vez por ano. Atuarão como diretores de escola, professores, médicos, psicólogos, comerciantes, estudantes, pastores, enfermeiros se misturando com as pessoas como Cristo fazia. [Equipe ASN, Felipe Lemos]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente sobre a postagem...